Plantão Policial registra sete casos de sequestros relâmpago em Jundiaí

quarta-feira, 20 de abril de 2011


Dentro do veículo, o sentimento é de impotência. Sob a mira de uma arma, a vítima é obrigada a atender as exigências do criminoso, que pede para ser levado aonde deseja – para fugir, comprar drogas ou mesmo roubar o carro em que está.

Essa cena tem se repetido em Jundiaí e região nas últimas semanas, com sete casos de sequestros relâmpago registrados no Plantão Policial só na primeira metade de abril.

De acordo com o delegado Elias Ribeiro Evangelista, esse tipo de crime não é comum. “Mulheres e idosos costumam ser vítimas mais fáceis dos ladrões, mas, na hora do desespero, eles fazem refém qualquer pessoa.”

E, com medo e trauma, as vítimas dos sequestros são obrigadas a mudar suas rotinas.

É o caso de um administrador de 21 anos, morador do Jardim Hortolândia, que teve sua EcoSport invadida por um ladrão no Retiro na noite do dia 12. Com uma arma apontada à sua cabeça, ele foi agredido antes de ter o carro roubado. “Evito ir ao banco e tento resolver todas as minhas coisas pela internet”, conta a vítima. “Quando saio da minha empresa, procuro até trocar de camisa.”

O administrador faz isso porque acredita que estava sendo vigiado pelos criminosos. Durante o sequestro relâmpago, ele foi seguido por outro homem, em uma moto.

Mais vítimas/  E não são apenas carros com uma pessoa os preferidos dos ladrões. “Em boa parte dos casos, o criminoso deseja fugir do local em que está e entra no carro que encontra pela frente”, afirma o delegado Elias, que atua em Campo Limpo Paulista.

Em sua cidade, no último dia 7, um metalúrgico de 19 anos teve seu  Gol 2008 invadido por um homem armado, onde estavam também um amigo e duas amigas.

À base de ameaças, o criminoso, no banco de trás e ao lado das mulheres, fez com que o metalúrgico guiasse o veículo por horas, até serem deixados na rodovia Hermenegildo Tonolli e pedirem carona.

Em questão de horas, ladrão fez cinco vítimas em três carros

No primeiro dia do mês, um sequestro relâmpago teve início no drive thru de uma lanchonete na avenida 9 de Julho, em Jundiaí – um lugar  movimentado e onde, na hora do crime, havia muitas pessoas no comércio.

Um homem armado invadiu o Fiat Palio de duas irmãs e fez elas reféns por cerca de cinco horas. Passaram por diferentes cidades e estradas, chegando próximo a Itupeva e depois retornaram a um posto de combustível no Medeiros, onde uma delas correu para fora do carro e pediu ajuda.

Ousado, o criminoso dominou novas vítimas em um Gol, onde  estavam dois homens, e deu início a uma nova jornada de terror que se estendeu pela madrugada toda.

Do segundo carro, o criminoso não se contentou e quis passar a um terceiro. Ele pediu que o motorista “fechasse” um Golf que passava pelo bairro Traviú e embarcou no veículo de sua quinta vítima. O dono do Golf, um analista de 33 anos, havia acabado de sair de uma boate e estava na companhia de uma garota de programa. Ele foi feito refém e, em determinado momento do trajeto, colocado no porta-malas do próprio carro.

Durante essa viagem de medo, a vítima pôde ouvir que o criminoso conversava com a garota de programa e suspeitou que eles se conheciam.

O analista foi obrigado a fazer um saque de R$ 600 e dar ao criminoso, além de R$ 200 que estava com ele. Mais tarde, foi deixado no porta-malas de seu carro em Campo Limpo Paulista, de onde foi libertado pela própria garota de programa, que estava com a chave.

Casos são registrados como roubo por polícia
Os casos de sequestros relâmpago são registrados pela Polícia Civil como roubo. De oito ocorrências que o BOM DIA teve acesso, apenas em uma o caso foi registrado como extorsão, com a denominação de “sequestro relâmpago” em seguida. Esse caso ocorreu em 22 de fevereiro, quando os autores foram presos.

Vidros escuros podem gerar efeito contrário
O delegado Elias afirma que utilizar vidros escuros no carro nem sempre ajuda a evitar esse tipo de crime. Ele diz que mesmo que o criminoso hesite em entrar no veículo sem saber o que há nele, em seu interior pode se beneficiar com os vidros escuros.

Fonte: Rede Bom Dia



Deixe um Comentário